quarta-feira, 20 de abril de 2011

Olá

Quanto tempo!! Que saudades do meu cantinho!!
Espero em breve voltar com novidades, por enquanto estou cuidando de mim e das minhas meninas... deixo um beijão a todos que me enviam seu carinho e continuam acompanhando o Sandrinha Ponto Cruz!
Saudade de todos!

7 comentários:

Renata Olah disse...

Olá Sandrinha! Vi seu recado em meu blog sobre a cesárea.
Parto é expulsão pela vagina, o natural, com todo o empoderamento que causa. Já cesárea é uma intervenção cirúrgica usada erroneamente e de modo rotineiro como via de nascimento, e que tem suas reais indicações (e que infelizmente não são respeitadas) e suas consequências como toda cirurgia.
Abraços

STILO BASICO disse...

oi Sandrinha, que bom que esta voltando ... adoro seus graficos.

bjim

Artes da Pantera disse...

Bom dia...
Gostei muito do seu blog...eu comecei um ontem...ainda ando a a ver como funciona...se quiser dê uma espreitada...
Beijos...
http://artesdapantera.blogspot.com/

Núbia disse...

Oi Sandra!
Estava com saudades!
Mil bjks e que Deus abençoe a vc e a sua família!

Maria Lúcia disse...

Oi
Que bom ver vc aqui
de novo.
Beijos...
Lúcia

Renata Olah disse...

Oi Sandrinha.
Infelizmente o panorama obstétrico atual é sim de cesáreas desnecessárias, rotineiras, tornando o nascimento uma linha de produção.
Pouco se fala das consequências e riscos desta cirurgia. Há o mito de segurança, de ser melhor pra mãe e para o bebê. E fala-se menos ainda do processo fisiológico que é o parir, seus benefícios e como todo processo se desenvolve. A mídia e a Medicina tecnocrata tornaram o parto natural num processo horrendo e medicalizado, onde a mulher deixou de ser protagonista de sua própria história, tercerizando o processo ao deixar toda responsabilidade nas mãos dos médicos..
Quanto ao parto.. se fala muito de "parto cesáreo", mas realmente isso não existe. Parto é parto, cesárea é cesárea. Um é fisiológico, outro é intervenção.
Quando à sua amiga sinto muito. Mas graças a Deus ela é excessão e se formos procurar a fundo certamente encontraremos um parto mal conduzido, talvez medicalizado demais, orientado de menos... e aí não há corpo que resista.
Aliás, todo o processo de humanização luta justamente contra esse tipo de atendimento. Trabalhamos orientando, informando, conscientizando e apoiando as mulheres. Trazemos de volta ao seu papel de protagonista. Estimulamos seu empoderamento para que ela possa questionar intervenções desnecessárias e rotineiras por tradição. Falamos de evidências científicas e fazemos todas a pensarem sobre seus corpos, seus bebês e seu processo de tornar-se Mãe.
E falando nisso, não... não sou mãe. Ainda. Mas não vejo a hora... mas o tipo de parto que terei já está decidido, e se tudo der certo será um lindo parto domiciliar..
Abraços.

Néa Souza disse...

oi minha querida tem uma brincadeira pra vc no meu blog, vc vai adorar. bjão te espero com muito carinho.